Uma crônica escrita pelo acaso

Eu sei que você deve estar pensando nos acasos, mas não existem acasos. Existe destino e só. A maior prova disso é que te encontrar, foi destino, era pra ser. A tua confiança e segurança sumindo perto de mim enquanto as mãos trêmulas encontravam minha face confirmam isso.

Não foi acaso a gente se esbarrar por aí. Foram passos calculados em milésimos de segundos. Foi o relógio brandindo e me fazendo correr contra o tempo. Foi o sapato que desamarrou e a pedra em que eu tropecei. Foi destino, o encontro dos nossos olhares na multidão não nega.

Eu crio os acasos com a precisão de uma escritora, que planeja os detalhes e tece as tramas. O destino os deixa acontecer. Eu crio as cenas, recrio as falas e na hora eu me perco e sou nua. Segundo o destino, sou tua.


Eu finjo não sorrir ao lembrar do tu beijo, mas eu estremeço. Aquele abraço não foi acaso e o beijo na bochecha foi destino, o resto foi escrito. Não pense que eu manipulo, de jeito nenhum, eu apenas dou chance. Sorte para o destino, as linhas do acaso já vêm prontas.

Mas a verdade é que eu mudei minha rota ao sentir as tuas mãos nas minhas, Tua respiração rápida e coração batendo forte foram o acaso mais bonito que já escorregou pelas minhas linhas. Cada centímetro de movimento foi calculado e eu nunca perdi o controle de nada. O destino quis assim, que eu te encontrasse em cada esquina, mas nunca soubesse como te achar. 

A obra do acaso, única pela qual ele deve levar vantagem, foi a sintonia em que os nossos risos se completam e o tom da tua voz, que combina com a minha em qualquer melodia. Acaso é você ter os olhos profundos e eu ser apaixonada pelos oceanos. É você ter cabelos que acomodam os meus dedos e eu ter o tamanho do teu abraço.

 Tirando isso, foi destino. Ou foi obra minha. (Quase) nada é por acaso. (Quase) tudo é premeditado. Acaso foi eu ter te encontrado, destino foi você ter ficado. O nós já estava escrito. 

Júlia Wentz dos Santos

21 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e sonhadora em tempo integral.

Um comentário:

  1. Nada mais bonito do que um bom maktub :)
    beijos rimados pra você :*

    ResponderExcluir