Esquecimento

É engraçado como eu não consigo me lembrar dos teus traços. São tão finos, tão únicos que a minha memória insiste em não gravar, como um sinal de alerta para que eu tenha que te olhar mais uma vez.

Eu lembro das partes, mas elas não formam um todo. Eu lembro do teu sorriso e da forma como ele se alinha, parecendo diferente em cada ângulo em que eu o encontro. Lembro dos teus olhos amendoados, mas não consigo lembrar da sua cor. E o seu cabelo, ao vento dança descompassado enquanto tu caminhas, mas não consigo formar os fios desalinhados que caem sobre o teu rosto.


E depois que tu vais embora, meus olhos se perdem, já não sabem para onde olhar e procuram algum vestígio ou sombra que possa ter ficado para tentar encontrar tuas formas. Encaram, em desespero, a porta, esperando que tu voltes a entrar, Eu fito o chão como quem espera encontrar um resquício de sombra escorregando entre a luz e a ausência. Mas depois que tu vai, já não há nada. Nem luz, nem ausência. É vácuo.

Meus olhos imploram um sinal teu, como um alcoólatra implora um último gole. E isso basta, pelos segundos seguintes. Te ver, nem que seja de longe e relance fazem com que a paisagem mude e se torne mais bonita. E eu tento decorar com exatidão cada pedacinho teu. Eu me permito viajar várias e várias vezes, sem discrição alguma, com meus olhos pela tua face. E, se paro para pensar, tudo o que eu lembro é do mistério que desconexa todas as minhas possíveis imagens tuas.

Será que tu realmente existe ou és um holograma enganando meus sentidos? Fazendo com que eu perca meu foco e meu controle. Carregando meu olhar por esse corpo inexistente, transparente e distante. És místico. És raro. Tanto que já nem me lembro mais.

Júlia Wentz dos Santos

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

2 comentários:

  1. Acho que grande parte do amor é a maneira como vemos os outros, e a saudade como imaginamos, talvez por isso tudo que já passou pareça tão mais colorido do que realmente foi.
    Amei seu texto, muito lindo, parabéns!
    Beijos rimados pra você :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso Vih, o amor é muito mais sobre a nossa lembrança do que sobre o momento em si.
      Obrigada pelo carinho!
      Beijinhos <3

      Excluir