Você em códigos

Um dia eu te decifro. Te decifro e te leio, te traduzo e reescrevo as tuas linhas. Um dia eu te decifro, te aproprio e te aperto, te solto e te liberto. Eu queria conhecer tuas entrelinhas, teus segredos mais profundos e teus anseios. Eu queria me apropriar do teu conteúdo, emoldurar teu sorriso e envasar teu cheiro.

Um dia eu te decifro, te descubro e te exponho. Mostro ao mundo o que se esconde de mais bonito em baixo dessa casca que não se quebra sozinha. Um dia eu te decifro e te encontro em um ponto fraco qualquer de qualquer música ou filme de amor.

Um dia eu te decifro e te agarro, te prendo nas minhas cordas e te jogo no mar. Te afogo e te salvo, pra você ver que sou tua heroína e tua perturbação. Um dia eu te decifro e mudo teus sinais, mudo teu norte e aponto tua bússola para mim. Te mapeio e bloqueio tuas rotas alternativas e aleatórias e digo que não há mais volta.


Um dia eu te decifro e te redesenho, te coloco cores e explodo em brilho esses teus olhos de supernova. Um dia eu te decifro e te encontro de maneira nada acidental na fila da padaria e te mostro que já comprei todos os sonhos mais bonitos que você poderia sonhar. E aí você corre atrás de mim e eu me escondo. Você me procura e não me encontra, e quando você vira as costas, eu te surpreendo com um sonho partido ao meio para a gente dividir. Eu sorrio. Você sorri.

Um dia eu te decifro, te decoro e te recito. Te grito. Aos quatro ventos para todo mundo ouvir e perceber que a tua música não é tão afinada quanto parece, mas é bonita mesmo assim. Um dia eu te decifro e te percebo, encontro em você meu lugar. Faço dos teus braços minha morada e abandono o lar. Planto flores e não rego o jardim. Eu fujo.

Um dia eu te decifro e mudo tuas palavras e teu pensamento. Me coloco como protagonista da tua vida. Entro nos teus sonhos e desejos mais profundos. Um dia eu te decifro e te entendo, só aí decido se quero ficar ou ir embora. Um dia eu te decifro, descubro teus fantasmas e percebo se dou conta ou não. Um dia eu te decifro e te engulo para ver se consigo digerir todos os teus sabores e temperos. Um dia. Hoje, não.

Júlia Wentz dos Santos

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Um comentário: