Por onde andam as pessoas interessantes?

   Conheci o blog do Daniel Bovolento, o Entre Todas as Coisas, a alguns anos atrás, enquanto navegava em alguma rede social e alguém compartilhou um texto dele. Desde então, passei a acompanhar sagradamente todos os seus posts e, pouco a pouco, me apaixonando cada vez mais pela sua escrita. (até me inspirei em um texto dele para escrever este aqui) Não demorou muito e me tornei fiel ao ETC, acompanhando diariamente os dramas, amores e sentimentos que eram jogados em páginas em branco, junto à trilhas sonoras de partir o coração.

   A escrita do Daniel é uma escrita daquelas gostosas de ler, que parece uma conversa em um bar. Uma escrita leve que traz consigo o peso de todos aqueles sentimentos que ele, assim como eu e você, já sentiu. É uma escrita que acaricia a alma enquanto soca a boca do teu estômago. Que é doce ao mesmo tempo em que vomita as verdades que nem eu nem você queremos acreditar.



   Quando soube que o Daniel lançaria um livro, fiquei eufórica e sabia que precisava tê-lo, então, finalmente após o lançamento, adquiri o meu exemplar de "Por onde andam as pessoas interessantes?".  Na contracapa, a descrição é a seguinte:

   "Daniel parece sangrar um pouco a cada crônica que escreve. Trata de amor com a eloquência lírica da juventude e, ao mesmo tempo, com conclusões empíricas, de quem desde muito cedo aprendeu a observar e registrar o comportamento e as relações humanas. Papo de botequim diriam alguns, mas o fato é que seus textos nos despertam os sentidos, nos tiram do estado letárgico: agrada, alivia, incomoda, angustia... Não importa, faz sentir porque faz sentido.

   “Outro dia perguntei pra um amigo se ele sentia que as pessoas interessantes tinham sumido e ele disse que sim. Mais uma corja de amigos recém- separados e na mesma faixa de idade responderam o mesmo. E isso me faz pensar se a gente é que ficou desinteressante, ou se o limbo emocional – nossa casa constante com o passar dos anos e dos relacionamentos – acabou tornando a gente mais exigente e maduro. Ou se realmente anda difícil encontrar conexão emocional numa época em que os aplicativos de pegação, a variedade de opções e a falta de tempo costumam transformar em instantâneos os relacionamentos que já estavam se tornando efêmeros.”"



    O livro traz 45 crônicas muito bem escritas e elaboradas, cada qual com a sua música. A trilha sonora completa o texto como o sorvete de creme completa o petit gateau (desculpa gente, coisa de gorda, não achei combinação melhor) e se você lê as crônicas ao som da música indicada, é como se o livro te tirasse para dançar uma valsa de sentimentos e emoções que afloram e se encaixam. E você sente. Você sente exatamente o que as personagens estão sentindo. Você sente, na pele e nos olhos, tudo aquilo que o Daniel quer nos dizer, de forma que você entra em cada crônica e vive, junto dos personagens, todo aquele sentimento. É muito amor envolvido. Sério.



   Por onde andam as pessoas interessantes? é um livro para quem busca encontrar a verdade por trás do amor e dos relacionamentos. Sem enfeites, sem finais pomposos e, geralmente, sem finais felizes. Ou finais muito felizes, dependendo do ponto de vista de quem lê. Amores de ponto de ônibus, amores que não acontecem, amores que deveriam ter acontecido mas não aconteceram, amores que foram embora, amores de hora errada, amores imaginários e todos esses amores que assombram nossos caminhos, são algumas das histórias nuas que Daniel traz em seu livro. Nuas de mentiras, nuas de máscaras, nuas de tecido encobrindo as verdades 



   Então, para quem quer um livro cheio de verdades e sentimentos, para quem quer entender um pouco mais das situações cotidianas e, enfim, descobrir por onde andam as pessoas interessantes, eu não teria uma indicação melhor! E assim como diz o prefácio, assinado por Stella Florence: "Antes que você se lance neste livro, porém, tenho o dever de avisar: bons escritores, escritores nus, provocam a mais absoluta nudez em quem os lê."




   Eu comprei meu livro na Saraiva e chegou em menos de uma semana!

   Espero que tenham gostado da dica e espero, do fundo do meu coração, que VOCÊS LEIAM ESTE LIVRO.


Júlia Wentz dos Santos

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário