Uma carta de despedidas

Música do post
Gone Gone Gone by Philip Philips on Grooveshark


 Hoje eu percebi que já é hora de ir. Desliguei as luzes do quarto e antes de sair, me certifiquei de que a única coisa que permanecia ali era a foto polaroid em cima da tua escrivaninha. Fechei a porta e carreguei as minhas malas pesadas pra porta de saída. Fui embora.
Eu soube que era hora de ir pois em seus planos imediatos, minha presença estava descartada, suas palavras secaram e ambos os corações precisavam da mudança. Eu soube que era hora de ir pois você não demonstrou entusiasmo, saudade ou algum sentimento qualquer pela minha presença.
Tô indo embora na certeza de que as coisas vão se encaixar, cansei de implorar a Deus por nós. Cansei de lutar por nós e sempre acabar perdendo pra qualquer coisa que entrasse em nosso caminho. Tô indo embora para procurar um lugar que seja meu por natureza, cansei de lutar por espaço e me esgueirar entre as fendas que ficavam entre coisas cortantes e coisas qualquer.
Hoje, me dói deixar você, eu juro que eu não queria, lutei contra mim mesma na hora derradeira, mas acabei me convencendo de que não havia mais espaço para mim. Ficar ao lado do celular esperando uma ligação que não chega nunca, esperando uma mensagem que ficou pelo caminho, esperando um encontro que já não acontece. Preciso deixar de lado estes velhos hábitos, seguir em frente, adiante. Hoje, passei pelo cinema e estava em cartaz um filme que combinamos de assistir juntos, me doeu o coração pois eu estava prestes a ir embora sem dividir uma pipoca com você, e as chances de algum dia eu assistir este filme, são mínimas. Eu lembrarei de que era para ser com você.
Ninguém nunca vai tirar de mim as coisas que são suas, os hábitos que eram nossos. Minha vida vai continuar a mesma que era com você, a diferença é que agora vou fazer tudo sozinha. Você parece não se importar, você tem o suporte necessário. Eu preciso encontrar algo que me dê motivos para não mais olhar para trás. Porque mais do que seguir em frente, estou deixando todos os meus planos para trás.
Me desculpa, mas eu não posso mais esperar por alguém que já partiu e me deixou no caminho. Não posso mais esperar por alguém que não sabe se é amor. Sinceramente, meu amor, quando é, a gente sabe. Quando é amor a gente agarra. Quando é amor, a gente quer a todo custo. Eu quis, eu te chamei, gritei, pedi, implorei. Você disse que não sabia. Precisei ir.
Nessa minha ida, torço secretamente para que você corra ao meu encontro, que você perceba que a falta que eu faço é maior do que qualquer uma das suas dúvidas ou inseguranças. Porque se você vier, meu amor, eu volto. Volto de coração aberto. Volto renovada. Volto feliz.
Mas se você não vem, eu sigo meu caminho, to aprendendo a lidar e já não choro mais tanto. Você não veio e eu acordei mais um domingo sozinha. Foi assim que eu percebi que minha hora havia chegado. Quando o coração acorda sozinho e gelado em pleno domingo de sol, tá na hora de a gente ir.
Espero do fundo do meu coração que você volte. Que você me procure. Que você sinta minha falta.
Espero do fundo da minh'alma que a gente se encontre logo por aí.
To com saudade de você, mas mesmo assim, preciso ir.
Está ficando escuro, está ficando frio.
Preciso de um abrigo. Um abrigo que você já não quer me dar.
Eu te amo. Te amarei por muito tempo depois que você se for, for, for... Já foi.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário