Para mim, eterno

Eu poderia abraçá-lo para sempre, mas ele me disse que pra sempre é muito tempo. Fiz planos e enchi todos os meus sonhos pessoais com possibilidades para uma vida a dois, mas ele tem seus próprios planos e sonhos, nos quais eu não me encaixo e nem sequer fico sabendo. Eu disse que queria uma casa, dois ou três filhos e um cachorro enquanto tudo o que ele queria eram algumas latinhas de cerveja para beber sozinho.
Eu tentei, tentei fingir que estava tudo bem, e ele não percebeu. Eu só queria um amor, daqueles fortes, vívidos, com a esperança de que durará para sempre. Ele disse que me amava, me amava agora e só, não ia me fazer promessas para um futuro, promessas que ele não poderia cumprir.
Eu o amo com todas as minhas forças, mas já não posso demonstrar, não quero afugentá-lo, quero que ele sinta minha falta como eu sinto a dele todas as quartas-feiras de noite quando eu deito na cama depois de uma maratona de livros incessantes. Eu queria que ele pudesse me amar para sempre, aqueles amores das comédias românticas que eu assisto e choro e assisto e choro... Assisto para ver o amor verdadeiro, choro pelo fato de nunca acontecer comigo.
E enquanto ele está comigo, eu me agarro à ideia de que é eterno, mesmo que ele não acredite no infinito. Enquanto eu estou com ele, eu desabo no choro interno, eu tenho medo de que seja o último abraço e o último domingo em que eu tenho que tirar ele da cama fazendo cócegas pois o almoço já está pronto. Quando eu estou com ele, meu mundo para de girar, mesmo que ele não perceba. Com ele eu transbordo, transbordo de amor, eu sou toda ele e mais um pouco, mesmo que ele insista em nem sempre ser só meu, mesmo que ele insista em ser um pouco da garota que assombra meus pesadelos e me faz chorar de raiva como eu nunca faço na vida.
Ele não entende, talvez não sejamos pra vida toda, mas eu gosto de acreditar que sim. Cresci ouvindo e lendo romances, acreditando no amor verdadeiro, mesmo que talvez ele nunca chegasse pra mim. Nunca pensei que alguém ia dividir a cama de solteiro comigo e brigar pelas cobertas, como os melhores casais fazem. Mas ele divide. Por isso ele é diferente. Por isso eu insisto tanto em tantos planos, tantos sonhos, insisto tanto nele. Ninguém, nunca, me preencheu tanto assim, mesmo sem querer.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Um comentário:

  1. Quando li seu texto lembrei logo de "Futuros Amantes", do Chico, já ouviu? "Não se afobe não, que nada é pra já". Nós, mulheres temos mania de planejamento, mania de sonhar; quando somos escritoras então, isso só piora haha tenha calma e você vai descobrir que viver a vida e ir com a maré também é gostoso. Não fique angustiada nem triste, o amor é feito pra nos fazer felizes.
    Beijos rimados pra você :*

    ResponderExcluir