Ao passado, o futuro.

Eu sei o que eu te disse, sei das promessas que eu fiz, sei o quanto eu te fiz acreditar nas, até então, minhas verdades absolutas. Mas, meu querido, o tempo passa, infelizmente ou felizmente, ele passa.  As coisas mudaram muito desde a última vez que você passou por aqui, eu mudei tanto, meu querido, tenho planos e sonhos que você nem imaginaria, mas sei que ficaria feliz se soubesse.
Olha, minha vida mudou, meu coração finalmente pertence à outra pessoa, por inteiros, sem metades. Eu finalmente sou do tipo que se entrega e sigo mais a razão do que a intuição. Sabe, eu finalmente consigo sentir novamente. A sua partida abriu um buraco no meu peito, e eu me fechei, tentei de tudo e não consegui largar de você por muito tempo, muito mais tempo do que o esperado. Mas hoje... Hoje eu consigo amar outro alguém. Não esqueci de você, não há um dia em que eu não lembre, seus pedaços ainda estão espalhados pelo meu quarto e vez ou outra encontro você em pastas do meu computador, e eu, finalmente, vejo como uma lembrança boa e não um desejo para o presente.
Hoje eu sorrio com o coração aberto quando lembro de você, um sorriso de carinho. Mas bater na sua porta já não é um dos meus planos agora, voltar para sua vida não é tudo o que eu mais quero. Eu quero seguir o meu caminho, meu destino, respirar novos ares e descobrir o que a vida tem de novo pra mim. Eu quero poder olhar para o passado sem tristezas e sem arrependimentos, saber que o que foi feito teve uma razão e que você foi a maior delas em grande parte. Saber que o que eu senti por você não pode interferir agora, não porque eu não queira, mas porque já não posso mais. Já não quero e nem consigo.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário