Uma crônica sobre crescer

Quando o frio de maio chega, bate-me a porta um sentimento de nostalgia. Crescer tem um pouco disso -e não falo em crescimento físico, porque quando se tem 1,55m a 5 anos, nem se espera mais por isso-. Crescer mentalmente e cronologicamente faz com que olhemos para toda a nossa linha do tempo e percebamos o quanto mudamos. Percebemos que talvez crescer seja sonhar como uma criança e não ter a mesma coragem para realizar, chorar de madrugada com a cabeça no travesseiro pra ninguém ouvir. Que talvez crescer traga muito mais cansaço do que emoções, que os sorrisos dificilmente saem e que a comida esfria antes de a gente terminar de comer. Talvez crescer seja focar no trabalho, na faculdade, nos trabalhos, nas tarefas, no tempo curto pra tanta coisa e esquecer daquele livro que está parado na cabeceira da cama a 4 meses, esquecer de jogar aquele jogo preferido, esquecer que dançar na frente do espelho é terapia. Talvez crescer seja dividir o meio-dia em 5 tarefas e ainda ter que almoçar, chegar em casa tarde da noite e não poder se atrasar, mas dormir e sonhar, sonhar, sonhar...
É que talvez crescer tenha um quê de amores não correspondidos, paixões perdidas e amores que o vento nos tirou, crescer é um eterno desencontro. Crescer talvez seja levar um tapa na cara todos dias e esconder tudo com um sorriso. É esquecer de telefonar no dia do aniversário da melhor amiga, é chorar com cada texto bobo que a gente lê, é comer um quilo de chocolate e não se preocupar com os vários quilos a mais.
Crescer é amadurecer, é se desafiar, se surpreender consigo mesmo, é enfrentar um, dois, cinco, quinze leões por dia e se orgulhar dos arranhões. Crescer é colecionar erros e feridas, mas é também aprender com cada um deles. Crescer é pegar a mochila, selecionar o que é importante e guardar o resto em um baú, é escolher as coisas erradas, é guardar mágoa, é levar consigo todo o peso de uma tristeza. Talvez crescer seja desaparecer no meio da multidão enquanto você se prepara para, finalmente, destacar-se. Crescer é rabiscar intermináveis versos e cartas que nunca serão enviados, é guardar os presentes mais bonitos. Crescer é apaixonar-se todos os dias por você mesmo, é olhar-se no espelho e agradecer a você mesmo por tudo o que você faz por si. É fazer mais por si mas mais ainda pelos outros, é ser bonito por dentro e sentir-se bonito por fora.
Porque crescer é a mudança, é o que move, é o que nos mantém vivos. Crescer é acreditar que o dia seguinte será melhor que o dia de hoje e que o futuro pertence a nós mas que o destino também tem surpresas. Crescer é nunca deixar o sorriso da criança para trás, é mudar sem perder a essência, sem perder a pureza. Crescer é abrir a mente e fechar os olhos, é abrir o coração e também abrir os braços. É agarrar qualquer oportunidade, é viver cada dia do jeito que ele deve ser vivido, cada momento com a tranquilidade e a calma que ele exige. Crescer é tomar uns cafés gelados na esperança de aquecer o coração.
E pensar que cada dia que nasce é uma oportunidade para recomeçar.




Texto comemorativo ao meu aniversário (rs) e aos 5 anos de Big Bubble. E que venham mais muitos!

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário