Meu ponto final

Vez ou outra lembro de você. Mas isso não é nenhuma novidade, você sabe. Você sabe que nem em um milhão de anos deixarei de lembrar. Como diria aquela música, "lembrar é o nosso final feliz", já que tomamos caminhos tão diferentes em nossas vidas. Escrevo agora imaginando que falo isso na sua frente, as palavras fluem porque tem tanta coisa que eu quero te dizer e nunca consegui.
Quero dizer que amei cada segundo que vivi contigo, que talvez seja a história mais bonita da minha vida. Espero, do fundo do meu coração, que você também nos veja assim, me doeria muito pensar que fui algo que você quer esquecer. Quero dizer também que sinto muito por tudo o que aconteceu, por não acreditar no amor, por deixar você duvidar do meu, por não fazer o possível pra te mostrar que aquela garota que falava pra você que eu não te amava só queria na verdade, você. Por não ceder aos seus pedidos e ser cabeça dura. Quero te dizer que sofri e chorei 3 dias seguidos quando soube que você estava começando uma vida ao lado de alguém que não era eu, porque até então eu havia esperado, dia após dia, que você viesse atrás de mim pra tentar resolver as coisas. Você não veio e eu resolvi que iria seguir minha vida também.
Você sabe, dezembro chegou e eu ainda chorei, procurei por você, ouvi coisas que não queria e guardei tudo dentro de mim. Até que você me procurou. Ah, você me procurou e voltou a confundir meu mundo, e eu pensava "Deus do céu, pra que? Justo agora que eu tava conseguindo, ele volta e me confunde". E aí, vez ou outra nos falávamos, você aquecia meu coração, mas suas perguntas me queimavam em uma fogueira de dúvidas e incertezas que eu tinha sobre tudo.
Você sumia e voltava o tempo todo, cada vez que você ia eu chorava e quando voltava, eu sentia uma ponta de esperança, de que um dia estaríamos juntos novamente e mais felizes do que nunca. Você me contava sobre as mudanças na sua vida e eu sobre tudo o que acontecia na minha. Falar com você sempre foi muito natural, eu sempre consegui ser eu mesma e você, até então, me conhecia mais do que qualquer outra pessoa neste mundo. Da última vez que você me procurou, você me pediu se eu ainda lembrava de você. Isso não era óbvio? Eu disse, então, que sim, todos os dias. E é verdade, não durmo uma noite sem sua imagem ter estampado minha mente, vezes por horas, vezes apenas alguns segundos.
Você me disse uma vez que precisávamos superar, seguir em frente. Eu consegui, to seguindo em frente, mas não há um dia em que eu não olhe pra trás. Sabe, eu to feliz, to muito feliz, se isso te importa. E eu sei que é egoísmo meu, mas meu coração se despedaça quando vejo que você também está e não é comigo. Quando vejo que você já me esqueceu, que sou seu passado e só. Sim, você sabe. Esse texto é pra você, não precisa me pedir, não precisa me procurar nem fazer nenhum comentário sobre ele. Escrevo-o na esperança de que agora, esse seja, também, meu ponto final. Vou seguir minha vida, sem esperar nada de você. Sem esperar que você me procure, me chame ou pense em mim. Sem esperar que um dia sejamos nós. Não te prometo que nunca mais escreverei uma palavra sobre você, mas juro que vou tentar. Vou tentar tirar você das minhas memórias diárias e manter você no meu passado, justamente como você fez.
Desejo sorte a nós, que agora seja o que o destino nos preparar. Se for pra ser, será e se não for, paciência. Enquanto escrevo, um nó aperta em minha garganta, porque sei que já deveria ter deixado você pra lá a muito tempo. Mas você nunca saiu de mim.
Como último pedido, peço que lembre de nós com alegria, que faça como eu: lembre de todas as nossas datas felizes e esqueça a do nosso fim. Que lembre os momentos de felicidade, de carinho e de amor, mas esqueça as palavras que trocamos em nossa única, e fatal, discussão. Que nunca se esqueça de mim, e me procure quando a saudade bater, mas só se você não estiver mais aguentando. Prometo que farei o mesmo.
Este foi, meu último desabafo. Há muitas outras coisas que eu queria dizer, mas não acho que devo. Então, guarde essas palavras, guarde alguma foto ou presente, se ainda tiver. E principalmente, guarde as lembranças. E saiba, lembrarei de você até o fim.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário