Eu tive um sonho

Essa noite, sonhei com você. Sonhei que estávamos passeando em uma montanha, clichê né? Era um lugar lindo, cheio de pedras e cânions e nós dois, lá em cima. Então, eu te vi de longe, você caminhava, sozinho, também. Decidi juntar minha mão solitária na sua mão solitária, e você negou. Você fugiu de mim e eu não entendi, você fugiu de mim e eu desabei. Corri atrás de você, desviando das pedras, caminhando no limite dos cânions. Sem perguntar, sem exitar, eu me colei no teu abraço, no começo, você pareceu relutante, mas acabou cedendo. Me afundei nos teus braços e senti teu calor, juro que eu senti. Você me olhou, daquele seu jeito calmo e sorriu. Você sabia o porquê de eu estar ali, você me entendia e eu sabia que você também queria estar ali, compartilhar daquela paisagem comigo. Caminhávamos em silêncio, contornávamos as rochas e observávamos os cânions, caminhando assim, sem rumo.
Durante todo o sonho, eu senti sua paz me preenchendo, mesmo quando você tentava escapar, eu sabia que na verdade você queria estar ali. Durante toda a noite eu senti você, de verdade, eu senti sua pele, seu calor e seu cheiro. Eu me afundei no teu abraço, eu me agarrei à tua lembrança, e quando eu acordei, eu agarrei o ar, agarrei meus cobertores, pois eu sabia que não era ao meu lado que você estava. Aí, hoje eu me agarro à esperança de que um dia, meu sonho vai ser verdade, que talvez um dia estejamos de fato passeando entre rochas e sentando na grama de algum lugar deserto por aí, em uma serra qualquer. Porque essa noite, eu sonhei com você, minhas falsas memórias uniram-se ao meu desejo de tê-lo aqui, enchendo-me de esperança, esperando que um dia, finalmente, eu possa nos chamar de nós.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário