Indignação. Apenas isso

Exalo indignação. Afundo a cabeça no travesseiro desejando não ter sido tão inocente. É óbvio que isso ia acontecer, menina tola. Eu tento entender essa certa compulsão que certas pessoas em me por pra baixo, em tentar esfregar na minha cara que são melhores do que eu, mas não veem que isso só as transforma em piores. Claro que me atingem, eu tenho um coração aqui dentro, eu tenho sentimentos e aí, sabe? Eu nunca falei nada, sempre relevei tudo porque é meu jeito, meio bobinha, confio demais nas pessoas, acredito que elas nunca fariam tal coisa comigo, mas aí eu só levo né? Quero ver o dia em que eu me levantar, sair dessa minha cápsula de vidro e mostrar ao mundo quem se esconde aqui dentro. Quero botar no chão as caras de todos aqueles que me subestimaram, daqueles que olhavam nos meus olhos e me chamavam de "querida", mas aproveitavam pra me apunhalar pelas costas. Apunhalavam me pelas costas enquanto eram aquecidas pelo meu abraço. Meu deus, santa inocência a minha, acreditar que o mundo é regado de boas intenções, mas como dizem por aí, "de boas intenções o inferno tá cheio". Cheio mesmo, lotado, transbordando. Mas se quer saber, por mim que vá e que faça o que quiser. Quer me machucar, me machuca, mas vai doer muito mais em você do que em mim. Isso eu garanto.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário