Nostalgia do amor ausente

Minha dor não é a dor dos excluídos; é a nostalgia do amor ausente, a expectativa de amar no futuro. E pensar em dor eterna é terrível. Consola-me a certeza de revê-lo quando tudo se cumprir. Nesse dia não haverá passado nem bem nem mal. Entre constelações voaremos, e nossas asas se tocarão tão sutilmente que até o hálito do Criador se aquecerá.


-Nostalgia do amor ausente; Alquimia para transportar demônios ao céu -Walmor Santos

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Um comentário:

  1. Um dos melhores contos que já li em minha vida.
    Salma Ferraz

    ResponderExcluir