Pedidos ao tempo e ao vento.

Que o vento leve pra longe essa falta que eu sinto de você. Que o vento leve embora as lembranças da sua voz e do seu cheiro. Que o tempo transforme as lembranças em acontecimentos, o passado em presente e futuro. Ou que ao menos a vida me mostre que existe um lado bom sem você, porque desde o dia que você se foi algo em mim mudou. Hoje eu sou fria, não me apaixono, não sinto mais nada, as borboletas em meu estômago já não voam. Hoje eu sou tudo o que eu não era, hoje eu já não encontro mais calmaria em um olhar ou em uma voz, hoje tudo o que eu sinto é a indiferença em relação aos outros e resquícios de saudade de você. E nada me importa, se eu já não posso ter você não sei se eu quero alguém, mas hoje eu sei que na verdade eu não mereço você pelo simples fato de eu ter te deixado ir sem ao menos tentar mudar, sem ao menos tentar mais um pouco fazer dar certo.
E se eu te machuquei foi por amar demais mas saber mostrar de menos. E agora as lágrimas correm do meu rosto mais uma vez enquanto escrevo pra você, sabendo que isso não basta. Fico feliz com a sua felicidade, mas entristeço-me ao saber que não sou mais o motivo dos seus sorrisos.  Eu não duvido do que você sentiu por mim e até consigo imaginar sua reação ao ler isto que lhe escrevo, mas nada nesse mundo consegue te trazer de volta.
Há dias que nos quais sua ausência quase não é sentida, mas há dias, como hoje, em que tudo o que eu queria era um abraço seu, mas já faz tanto tempo que eu não consigo me lembrar quanto tempo faz. As coisas andam difíceis para mi e eu queria saber o porquê de você ainda ser tão vivo em mim, quando eu mesma tentei te matar. Hoje eu tento me distanciar de tudo o que me lembra você, mas existem coisas, pertences e objetos que ainda continuam no lugar em que você deixou pelo simples fato de que tirá-los de lá seria auto-massacre. Vez ou outra imagino que na verdade o que eu sinto é falta, carência, não de receber carinho ou sentimento, mas eu sinto falta de sentir, de me apaixonar e acabo buscando no passado sentimentos que possam me fazer sentir algo novamente, infelizmente quando penso no passado -e quando você me vem à mente- o coração chora por ter amado sem nunca saber como fazê-lo do jeito certo.
Hoje você está cada segundo mais distante de mim, mas sua marca, seu legado, a sensação do toque da sua pele e lábios aparecem aqui para me torturar, pra me mostrar que eu podia ter sido melhor se eu estivesse disposta, que eu podia estar bem se eu não tivesse colocado em minha mente de que sem você eu seria melhor. E fui, durante algum tempo eu fui, mas ninguém vive bem sem amar, sem sentir, sem querer, sem desejar e hoje eu estou lutando pra conseguir sentir algo maior do que eu senti por você mas por um outro alguém. Não que eu não queira você, eu quero, mas não posso. Não posso mais amá-lo nem tê-lo e agora, enquanto procuro encontrar um jeito de finalizar esse texto sem parecer que eu preciso de você (porque eu não preciso), e assisto a um canal de clipes começa a tocar With You do Chris Brown e nossos melhores momentos me passam pela memória, desde a primeira vez em que meus olhos encontraram a imensidão dos seus, o primeiro beijo que eu lhe dei, depois de muito esperar e acreditar que um dia você seria meu, até a última vez que eu lhe abracei e pedi para que fosse embora. E eu lembro da gente correndo contra o vento e caindo na areia, eu lembro da nossa música e de como eu chorei de emoção quando você me mandou, pela primeira vez, um trecho dela por sms. Eu lembro da primeira vez que você disse que me amava, foi por telefone e a ligação estava cortando e eu não entendia o que você falava e eu jurava que você estava terminando comigo e a única coisa que eu consegui lhe dizer foi que você era muito importante pra mim e que eu gostava muito de você. Foi um alívio quando eu soube que o que você queria me dizer ela um "eu te amo" e não um "adeus", na verdade o último fui eu quem lhe disse.
Que o tempo me traga algo bom, seja você ou outro alguém. Que eu consiga me entregar novamente, que eu consiga sentir algo verdadeiro novamente, porque eu to cansada de pronunciar palavras vazias, cansada de fazer promessas que eu sei que não vou conseguir cumprir, cansada de mim, cansada de viver de forma medíocre, insignificante. Eu quero viver novamente coisas que só um amor, e dos bons, pode me proporcionar, eu quero me sentir viva, me sentir forte, me sentir eu mesma, eu quero votar ser quem eu era quando eu sabia o que era sentir.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário