Talvez a minha sina seja uma constante espera

São exatamente duas horas da madrugada. Tive um dia cheio, típico de final de ano, se bem que este final de ano está se superando. E mesmo cansada, mesmo com vontade de me jogar na cama e ser absorvida completamente pelo colchão, eu esperei por você. Não quis, em momento algum implorar pela minha redenção, até porque não há motivos, eu não fiz nada de errado. Ou para você é um erro querer simplesmente ficar um pouco guardada, descansando, presa dentro do armário? Pra mim é necessidade.
E em momentos como esse, eu nos vejo perdendo um ao outro. E eu penso nas tardes de sorrisos e sol. Por que você tem que agir assim? Você é como uma criança birrenta, as coisas não saem como o esperado e você faz beiço e esperneia e xinga.
Já passou meia hora desde que eu comecei a escrever esse texto. Eu continuo na esperança de você aparecer, nem que seja pra fazer birra. Mesmo com o peso dos meus olhos, eu te espero. Mesmo que amanhã o dia vá ser longo, eu te espero. Descasquei metade do esmalte de todas as minhas unhas, rabisquei todos os blocos de papel só pra me manter acordada pra quando você chegasse. Você não veio. E eu fico na dúvida, querendo saber o que foi que eu te fiz, querendo saber se realmente é por minha conta que você sumiu. E são esses motivos que me fazem recuar, que me fazem guardar a bagagem de volta, que me fazem recolher minha bagunça e hibernar emocionalmente. Eu tenho medo, olha pra mim, eu tenho medo. Se você soubesse a quantidade de vezes que eu já esperei por alguém que nunca chegou você não me deixaria na espera.
Eu só quero que você me prove que eu fiz bem ao escolher você. Não que eu duvide disso, pois só o fato de sentir as suas mãos na minha já me fazem bem, mas isso é o presente e eu tenho comigo toda uma carga de passado e expectativas para o futuro. Eu tenho uma série de necessidades nunca supridas, eu tenho uma lista de carências e uma coletânea de medos. Medos que pra qualquer um são sem fundamento, mas pra mim são antigos medos que assombram todo o meu lado emocional.
Faltam 20 minutos para as 3 horas da madrugada. Você ainda não apareceu. Não mandou notícias. Não fez nada. Talvez você também precisasse descansar, talvez você precisasse de um tempo pra por tudo em ordem, para fazer o balanço diário de tudo o que aconteceu. E é com essa falta de você e a certeza de bem-querer que eu vou dormir, na esperança de que meus sonhos possam carregar você para cá.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário