Me tira daqui?

E eu não queria escrever sobre amor mais uma vez, mas não me resta outro sentimento a ser exposto. Eu podia falar sobre minha inconformidade em relação ao mundo, minha solidão, o desespero que dilacera aqui dentro, mas não. Vou falar sobre o que acalma, o que aquece. Você tem sido meu maior motivo de sorrisos ultimamente, sabia? É, mesmo quando você não vem, mesmo quando não está aqui é em você que eu vejo esperança pro fim de toda essa dor, que por si só não passa. Você não sabe de um terço da história, mas eu tento te mostrar aos poucos, pra não te assustar, que você é quem pode me salvar. Deito e lembro da vez que você acariciou os meus cabelos durante quase duas horas sem cessar, talvez tenha sido isso. Percebo que tudo o que eu precisava era de um carinho sincero. Lembro dos seus abraços e da sua mão entrelaçada com a minha. Percebo que só preciso de atenção. Cade você pra me tirar dessa loucura? Cade você pra me livrar de toda essa dor existencial? Cade você pra me mostrar que eu posso ser boa pra alguém, pra você? Os dias vão passando e a mudança está cada vez mais próxima. Pessoas que deviam se preocupar comigo mal dão ouvidos ao que eu falo e não levam minha opinião em consideração. Não to pedindo permanência, união, continuidade e nada disso, só to pedindo consideração, aceitação. Há todo um drama, toda uma pressão emocional, jogos de quem consegue piorar mais a situação. E você não vem. Eu esperei uma semana inteira, duas até e esperaria três se você viesse. Eu me dispus a te deixar bem, te firmar na minha terra e nunca te deixar faltar amor. E eu que sempre acreditei que morava em Wonderland, caí em um lugar triste e quase desesperador. Mas se você estivesse ao meu lado eu estaria mais tranquila, mas eu to perdida porque você ainda não chegou, você prometeu segurar minha mão se eu tivesse medo no meio do filme ou no meio da vida, mas tudo o que eu agarro agora são os meus cabelos, tentando ao máximo não arrancá-los. Minha própria casa se transformou no meu campo de guerra, onde eu tento lutar contra os fatos e contra minha vontade de você. Minha casa virou não o teto que me protege, mas o teto que desaba sobre mim todos os dias. E você não vem pra me tirar do meio dos escombros. Eu tenho medo, muito medo, de estar confundindo tudo, de estar vendo coisa onde não tem, mas infelizmente é isso o que um coração desesperado faz quando precisa de calor.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário