Eu queria você.

Eu poderia estar com você, mas estou aqui escrevendo. Escrevendo para e sobre você, diga-se de passagem. Tentando escrever, melhor dizendo. Minha vontade de você é tão grande que as palavras mal saem, mal fazem sentido, mal me deixam em paz. Eu procuro seu nome e sua foto no meu msn a cada cinco minutos, na esperança de você estar lá, mas não, você ainda não veio. Eu pego meu celular e aperto todos os botões possíveis, na esperança que em uma dessas apertadas posso trazer uma mensagem sua, mas não, você não mandou nenhuma. Eu olho pra minha bagunça, interna e externa, e tento encontrar você, mas faz tempo que você não vem, já não há vestígios seus nem seu perfume pairando no ar. E eu gosto de um pouco de tudo em você, e ao mesmo tempo que odeio quando você fala um palavrão na minha frente eu amo a cara que você faz. Ao mesmo tempo que eu odeio quando você me ignora, eu amo o jeito que você vem quando quer um pouco mais de atenção. E eu acho que amo você. Acho, apenas. Eu gosto do jeito que você fica quando eu tento chamar a sua atenção e faço um dos meus habituais dramas e você apenas sorri. Eu te imagino entrando pela minha porta agora, com cara de cachorro abandonado, me pedindo um abraço e um cafuné. E ai eu pego meu violão e canto aquela música que me faz lembrar de você, você ri porque eu não sei tocar violão de verdade. E eu amo ver um filme do teu lado, mesmo que eu queime todas as pipocas e você ria de mim por causa disso. Porque essas coisas são simples, mais simples do que qualquer coisa, mas as maiores alegrias estão nas coisas mais simples mesmo. E você é tão tudo que eu me sinto pequena, me sinto pouco pra você, mesmo sabendo que eu tiro sorrisos de você quando tudo o que o mundo quer é uma lágrima sua. Vai ver somos mesmo assim, feitos um pro outro, vai ver o mundo nos queira juntos. Vai ver você deve chegar aqui na minha casa agora correndo, molhado de chuva, e dizer que veio me entregar uma carta mas ela também acabou molhando e agora só quer me entregar um beijo, que acabou encharcado pela chuva também. Vai ver eu devo te ver em todos os lugarem mesmo, mas eu acho que agora você deveria estar aqui. Como eu faço pra ter você aqui, do jeito que eu desejo agora? Eu continuo tentando escrever e olhando pra pilha de papéis e deveres e objetos-nunca-utilizados e acho que você devia estar aqui comigo pra bagunçar mais minha mesa e arrumar meu coração. E eu prometo te fazer sempre feliz, te fazer sorrir a toda hora, e se eu falhar, meu amor, eu te deixo fazer carinha de triste, porque aí você sabe que eu não resistiria e te atacaria como uma metralhadora disparando beijos. E eu continuo imaginando você entrando pela minha porta agora e me assustando, mesmo que isso não faça muito o teu tipo, mesmo que você não seja o cara mais romântico do mundo, eu sei que você tentaria e eu amaria qualquer gesto seu, por mais desajeitado que fosse. E com você ao meu lado eu teria meu dia perfeito, com nada errado em meu caminho, só eu, você, um filme, uma bacia de pipocas queimadas e um turbilhão de beijos e carinhos e abraços.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário