blá blá blá

E agora eu vejo como o tempo passou. Estamos cada vez mais distantes e é cada vez mais complicado eu te olhar. Eu sei, a culpa é minha. Eu não dei valor às suas promessas e te deixei de lado, crendo que você sempre me pertenceria. Mas o frio das madrugadas me faz ver que você está bem sem mim. Seu sorriso dói mais do que nunca, e eu nunca dei tanto valor à ele. Talvez porque agora ele já não me pertença mais e eu estou aqui, reconsiderando cada palavra sua, na esperança de que um dia você volte atrás. Eu sei, fui eu quem distanciou a gente, eu e a minha ingenuidade, que me fez pensar que você estaria sempre amarrado em mim, mesmo que eu apenas te desse esperanças, eu achei que você se contentava com isso. Eu estava errada. Você cansou de me esperar e agora eu vejo que te perdi mais uma vez. Já te perdi e recuperei tantas vezes que nem sei, mas nunca te tive de verdade, nunca me entreguei de verdade. E agora você evita olhar para mim, meu subconsciente crê tenta acreditar que é por medo de ficar preso em mim novamente. Eu acredito que é porque você sabe que não me pertence mais.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário