para não perder tempo

Eu poderia escrever sobre amores ou desilusões, mas resolvi escrever sobre a vida. O tempo vai passando e a cada novo dia sabe-se que alguém partiu. E são jovens, crianças, adultos, idosos, ninguém escapa das garras da morte. E aí então eu vejo que tudo o que a gente faz em vida é em vão, depois da morte não sabemos o que acontece, talvez não aconteça nada, talvez não tenha um paraíso nos esperando e então ninguém vai pro céu ou pro inferno, apenas ficamos. Todos os dias eu sorrio, sorrio por estar viva e por ter pessoas junto a mim, sorrio por poder sorrir, cantar, sorrio a cada respiração, a cada passo dado, sorrio por aqueles que lutam pela vida e por aqueles que dão valor a um sorriso. A vida é tão única, tão bela, e como todas as coisas belas tem um lado triste que devemos usar para nos fortalecer e por achar tudo mais belo ainda. O lado 'negro' da vida não existe para nos abatermos, e sim para lutarmos. Não gosto de julgar ninguém, cada um sabe aquilo que se passa dentro de si, mas simplesmente não compreendo, aqueles que não admiram o simples fato de respirar e manter-se vivo, e então simplesmente se perdem. Aborrece-me ver vidas longas e felizes sendo perdidas por descuidos, pela inconsciência dos atos, mas as coisas são irreversíveis. Pulemos e cantemos pela vida, vamos sair por aí e gritar que somos felizes, vamos estampar um sorriso no rosto e sentir o sangue pulsando em nossas veias, vamos correr e brincar com a vivacidade de uma criança. Porque é isso o que nos resta a fazer, pois depois é tarde e o agora já passou.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário