Eu não deveria mais ser assim, desde aquela tarde de sábado que eu saí do seu carro, e da sua vida, na chuva, que no meu rosto se misturavam com as lágrimas, eu deveria ter superado. Eu superei, talvez, sei que superei até ouvir seu nome, ouvir que você cometeu o mesmo erro, mas com outra garota. Achei que você tivesse aprendido que corações são de vidro quando você pisou no meu, você estava com os pés descalços e acabou se cortando com os cacos do meu sentimento. Tentei colá-lo várias vezes, com todos os tipos de cola recomendados, mas você sabe, as marcas continuaram, e você, pelo jeito continua o mesmo. Sei que não tenho mais nada a ver com você, mas hoje você se parece com um destruidor-de-corações em série. O meu, descobri, foi só o primeiro, mas também foi o que mais doeu em você. Lembro-me das lágrimas que deixou cair no tapete da minha sala quando você voltou implorando por mim, lembro-me das rosas e dos bombons que joguei fora, sem ao menos ler seu cartão. Se essas demostrações de afeto foram reais, não sei, espero que sim por dois motivos: não quero me decepcionar e quero que você tenha sentido um pouco de dor, um pouco da minha dor.Hoje quando ouço seu nome, é como se facas perfurassem meu corpo, não pela saudade, mas pela raiva de ter deixado tudo acontecer, de ter deixado você usar meu coração. Mas também sinto uma preocupação, e é ela que eu não deveria sentir, é dela que eu tinha que ter cortado relações antes de fazê-lo com você. Eu vejo que seus erros são iguais, as mesmas promessas para todas, os mesmos sonhos e ilusões criadas -por elas- e você, no fim vai embora, como se nada tivesse acontecido. Você ainda vai se machucar muito, e não adianta vir com essa de “pegador supremo” isso também não cola, você só gosta de quebrar corações e é só isso, é seu hobby, isso torna você um psicopata, matando cada vez mais esperanças, usando cada vez mais sentimentos.Hoje eu agradeço, agradeço por você ter parado o carro, por ter me deixado partir, agradeço por ter aceito o adeus, mas peço-te, por favor, não cometa os mesmo erros, ou um dia você vai sentir a verdadeira dor de um coração em cacos de vidro.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário