At night we ride through mansions of glory in suicide machines


É na calada da noite que a solidão mais me faz companhia, é nela que a solidão me toca com suas mãos frias e beija-me com seus lábios de gelo.
É na calada da noite que eu percebo tudo o que deixei de fazer, sempre a mesma coisa. Todos os meus medos me assombram, minha desconfiança mostra seu rosto.
As fotos e restos de lembranças, sombras apenas, fazem-me companhia mostrando-me seu pesar. Minhas vontades gritam, imploram, meus desejos me tomam por inteira, a energia me mantém acordada, durante horas. Meus olhos no nada, no nada escuro, no breu da noite, nos versos que eu faço, nas canções que eu insisto em cantarolar.
Minha pele, tão fria, busca calor no toque macio das cobertas. Uma fila para chegar ao sono, lá encontrar meu sonho e adormecer. Momentos de paz.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

2 comentários:

  1. Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da vida.
    Mais o que o adolescente pensa disso?

    http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

    Se gostar do blog, e se quiser segue lá, ficarei muito feliz.
    Atenciosamente Tainã Almeida

    ResponderExcluir
  2. ameii o blog. seegue? http://heyheyloveblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir