Eu não posso voar, eu não posso tocar meus pés no chão.

Estão tentando cortar as minhas asas, voar já me parece difícil agora, já não sei o que fazer, não quero cair por terra mais uma vez. Alguns barulhos me ensurdecem, já não consigo me aquecer, mesmo com esse calor horrível de verão, que no meu caso, é só mais um frio de inverno interno.
Tenho medo, muito medo do que está por vir, arranhões, machucados, talvez eles voltem a doer, talvez fiquem mais profundos, talvez, ainda há esperança, que eles possam curar, é como se eu Senhora dos Sonhos, não pudesse sonhar, não conseguisse ou tivesse motivos. Eu sei, esta noite não vou dormir, pelo menos não bem, pelos menos até encontrar as respostas, saber se meu lugar é no céu ou na terra. Preciso até saber se já é hora de partir ou ainda devo permanecer. Voar baixo assim não é bom, não tem graça, meus pés raspam no chão, isso machuca de mais, não sei se saberei andar novamente caso precise.
Por favor asas, voltem a crescer ou me deixem no chão, para sempre. Altos e baixos assim, por favor, não há quem aguente.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário