O Dia em que tudo vai a baixo!

Qualquer lugar que você não esteja, 11 de Setembro de 2010.
Querido futuro ex-amor
Como se já não houvesse mais nada, as coisas vão embora. Hoje acordei meio assim, com vontade de deixar tudo para trás, nesse nada belo dia chuvoso.
Como se nunca tivesse acontecido algo, você é minha principal tentativa de esquecimento nesse sábado, 11 de setembro.
O cara que eu conheci, me apaixonei, o cara que me fez sorrir. O dono do sorriso que me fazia feliz, da voz que me encantava e me fazia estremecer, do melhor abraço que eu já senti. Do melhor momento que eu vivi. O cara que me encantou só com o jeito com que me segurava em cada queda. passado, num pretérito quase perfeito.
Nesse nada belo sábado chuvoso eu acordei com vontade de te esquecer, ignorar e fingir que nunca amei você. Serei forte, lutarei até o fim. vencerei essa guerra. Você é o que foi abaixo no meu 11 de setembro. Se eu tivesse feito isso no ano que te conheci, e me apaixonei, não teria sido assim tão simples, mas teria me poupado lágrimas, mas eu não teria vivido bons momentos. Eu, assim como você, era apenas uma criança, mas como você já sabe, já percebeu, eu cresci, e comigo a vontade de viver mais em mim e menos em você. Sei que você nunca vai ler essa carta, e se lesse nem se importaria. Você nunca se importa. Mas saiba que eu te amei, com toda a força que eu tinha, e que agora estou tentando te esquecer, não que eu esteja fraca. Não! estou até mais forte, não é qualquer pessoa que consegue se libertar assim de um grande amor. Agora você vai ficando cada vez mais no meu passado.
Com Carinho
Futura Ex-apaixonada.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário