Baby, we were born to run

Poucas coisas restaram. Uma xícara com um café amargo, tão amargo que já não há como beber. Deitar ao seu lado já não é a melhor coisa do mundo, sorrir desse jeito me parece falso. O velho par de óculos escuros já não escondem seus olhos vermelhos, é inadmissível dizer que já não andou chorando. Ela já perdeu tudo o que tinha, já viveu sem ter o que precisava, ela já correu atrás do mundo, mundo aquele que nunca deixou ela viver em paz. Já não sonha como antes, pesadelos invadem sua mente e fazem com que seus sonos sejam conturbados. Dormir ao seu lado já não acalma. Ela acorda de manhã e procura não ver o seu rosto, tenta não ver que você está ali, e pra sempre estará. Ela acorda e foge de tudo, foge do mundo e outra vez deixa-se escapar. Ela corre contra o vento, com as folhas voando em seu rosto, a poeira da cidade grande fecha sua visão, ela nunca vai se acostumar com isso. Ela quer fugir, quer correr, ela corre contra o vento e contra o tempo, faz de tudo para não perder mais nada pelo caminho, garrafas e sonhos, objetos e esperanças, tudo deixado pelas ruas escuras para qualquer um que encontrar agarrar e tornar algo próprio. Correr de novo e de novo, como num velho jogo, num velho sonho. Como num filme de ação, tenta se esconder dos tiros e dos gritos que ecoam em sua cabeça, nada é como antes, nada restou. Foge da vida e deixa-se cair em qualquer canto, como se nada fosse, como se cada palavra não tivesse sentido e não levasse nada consigo. Ela cai em cada porto, onde os navios vem e vão, levando com eles um pedaço dela, ela viaja com esses navios em busca de uma nova vida, ela corre e trabalha, vai contra o tempo. Volta para a casa e lá encontra você, sentado lendo um velho jornal. Estar com você já não é a mesma coisa, você sorri e diz que simplesmente entrou na casa dela, você tem a chave. Você vai embora antes que ela possa dormir. Dormir sem você já não faz sentido.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Um comentário:

  1. oii flor*_*
    vc ta sumida lá no blog;)
    passa por lá qnd puder,
    bjocas,(adorei o post)
    Clara

    ResponderExcluir