Only the strong survive


Fugiu de si. Caminhou sem rumo. Chuva escorrendo pelo seu rosto. Estava calma agora, nada mais a incomodava, já estava tudo bem, ela ainda não tinha alguém, e nem precisava, agora ela sabia, apenas precisava realmente de uma pessoa: dela mesma. Tava na hora de voltar a viver mais na sua própria bolha ao invés de ficar procurando pessoas em bolhas que voavam rápido de mais para longe dela. Preferia continuar quieta, já convivia, e muito bem, com a sua suposta solidão. A chuva talvez tenha fortalecido sua bolha, talvez ela já não explodisse agora.

19 anos, taurina. Escritora de gaveta, cantora de chuveiro e futura CSI

Nenhum comentário:

Postar um comentário